Certa vez alguém comparou o casamento às moscas na tela da janela da cozinha: as que estão fora querem entrar, e aquelas que estão dentro querem sair.

Para evitar o segundo quadro, e facilitar que o primeiro aconteça sem maiores prejuízos, Deus nos deixou um livro inteiro da Bíblia. Este livro traça a história do amor romântico desde seu início e passando pelos altos e baixos do namoro, noivado, lua-de-mel e cotidiano do casamento. O livro conhecido como o “Cântico dos Cânticos” (o melhor dos cânticos) ou seja, Cantares, inclui dois refrões que revelam as características do verdadeiro amor. O amor verdadeiro sabe esperar e o amor verdadeiro é exclusivo.

Descobrimos a esperança do amor verdadeiro na repetição da frase “não acordeis nem desperteis o amor, até que este o queira.” O amor espera, pois confia num Deus soberano, em Seu plano perfeito. (Veja o primeiro artigo nessa série.) Mas o amor verdadeiro também é exclusivo, pois crê que esse plano inclui um homem para uma mulher para uma vida inteira.

Poucas pessoas no mundo hoje pensam desse jeito, mas o que parece-me ser ainda mais triste é o fato de que muitos na igreja não concordam, ou pensam que essa exclusividade começa só com o casamento. Mas nada na Bíblia nos dá base para pensar que a fidelidade conjugal começa somente depois do casamento.

O perfeito amor é exclusivo

Cabe agora investigar a exclusividade do amor conforme Cantares. O refrão que também se repete três vezes (no início, meio e fim do livro) ecoa esse princípio: 2:16 O meu amado é meu, e eu sou dele; ele apascenta o seu rebanho entre os lírios. (É interessante notar que, no argumento do livro, a noiva fala da exclusividade do seu amor, guardado antes da consumação do casamento. Ela se reservou exclusivamente para o amado.)

O refrão se repete mais duas vezes no livro: 6:3 Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu; ele pastoreia entre os lírios. 7:10 Eu sou do meu amado, e ele tem saudades de mim. O princípio não pode ser mais claro-no plano perfeito de Deus, eu não sou meu– eu pertenço a outro! Cantares usa a figura de um jardim para descrever a noiva que soube guardar seu coração até o casamento “Jardim fechado és tu, minha irmã, noiva minha, manancial recluso, fonte selada” (Cânticos 4:12). Mais tarde, o texto a descreve como sendo um muro, resistente às seduções, em contraste com uma porta que deixa qualquer um entrar (Cânticos 8:8-10). O ponto é que mesmo antes de conhecer seu amado, ela se reservou exclusivamente para ele. O Novo Testamento aplica essa verdade ao contexto do casal casado, em que o corpo de cada um pertence ao outo: “A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e, sim, o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e, sim, a mulher.” (1 Coríntios 7:4)

Moças, se Deus permitir, seu Príncipe Encantado está assentado em cima do seu cavalo branco em algum canto do mundo, com uma sapatilha de vidro em sua mão, saindo agora de uma longa viagem a seu encontro. Não saia 15 minutos antes que ele chegue para ficar com algum sapo que nunca será príncipe! O amor verdadeiro não somente espera, mas é exclusivamente reservado para a pessoa que Deus escolheu para você. Gostaria de oferecer algumas sugestões para proteger a exclusividade de seu coração:

Para Jovens

Preserve-se agora para depois! Lembre-se de que provavelmente existe alguém neste mundo com somente seu nome escrito na tábua do seu coração. Confie em seus pais, parentes (em Cantares os irmãos são guardiões do coração da noiva!) e seus líderes espirituais e amigos sábios para lhe dar direção e conselho em questões do seu coração. Faça um voto de pertencer exclusivamente a pessoa escolhida por Deus para você! Ore pelo seu futuro cônjuge! Se você já “pisou na bola” , confesse seu pecado a Deus e confie que Ele lhe dará um “novo começo”. Não viva debaixo da culpa, mas na graça de Jesus.

Para Pais

Lembrem-se: A responsabilidade de proteger o jardim dos filhos é sua (Provérbios 23:26 “Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos se agradem dos meus caminhos.”). Preparem seus filhos para a exclusividade do casamento através do seu exemplo de fidelidade conjugal; ensino bíblico sobre pureza moral; vigia das amizades e dos relacionamento românticos de seus filhos. Orem pelo futuro cônjuge de seus filhos!

Deus não passa vergonha, nem gagueja quando fala de paixão romântica. Foi Ele quem inventou o amor, e Ele tem um plano perfeito para sua vida. Deus reserva os maiores prazeres românticos para aqueles que saibam esperar o tempo dEle! Por isso, o amor perfeito é caracterizado por Esperança e Exclusividade: “Não acordeis nem desperteis o amor, até que este o queira.” “Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu”

Leave a Reply