Família

O propósito de Deus para a família I | Família

Por 10 de setembro de 2018 0 Comentários

“A família está morta” dizem alguns.  Mas apesar das estatísticas, apesar das crises, apesar de tudo que ouvimos pelo contrário, Deus ainda não assinou o óbito familiar.  O plano que Ele implementou no Jardim do Éden, e que foi resgatado na cruz do Calvário, continua em pé hoje.  Mas precisamos renovar uma perspectiva realmente bíblica do propósito de Deus para a família se veremos um reavivamento em nossos dias. 

Dos muitos propósitos que poderíamos alistar para a existência da família, creio que dois englobam a maioria dos demais.  Sem sabermos o porquê da família, dificilmente vamos acertar no “o quê” e “como” de vida familiar.  Para este fim, gostaria de sugerir que Deus criou a família com dois propósitos em mente: Espelhar a Imagem de Deus,  Espalhar o Reino de Deus 

A família existe para ESPELHAR a imagem de Deus.

Deus criou o homem e a mulher criou cada um à sua imagem.  Representam algo sobre a Pessoa de Deus como indivíduos (por exemplo, personalidade, intelecto, emoção, vontade, espírito, etc.).  Mas Deus também criou os dois à imagem de Deus:“Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gn 1:27).   “Homem e mulher os criou” (à imagem de Deus) significa que o casal como casal revela aspectos profundos sobre a Pessoa de Deus.  Este foi o primeiro propósito de Deus para a união conjugal, e revela a centralidade do relacionamento marido-esposa no plano de Deus.  Mas exatamente o que o casal reflete que o indivíduo não? 

Em primeiro lugar, o casal reflete unidade em diversidade, assim como vemos na Santa Trindade, onde há três pessoas distintas, com funções diferentes, mas com harmonia total.  Assim Deus criou o casal para existir em duas pessoas distintas, numa união tão completa que se tornam “uma só carne” (Gn 2:24), com intimidade, harmonia e unidade.  Imagine!  O casal casado pode ser uma ilustração na terra da natureza divina!  Por isso o casal precisa proteger o relacionamento a dois a qualquer custo, valorizando as diferenças e vivendo em harmonia. 

Em segundo lugar, o casal reflete a imagem de Deus através de qualidades de relacionamento.  Há aspectos da personalidade de Deus, seus atributos, que somente se vêem em comunidade, tais como amor incondicional, bondade, longanimidade e misericórdia.  Deus criou a família como o lugar ideal para ver estes atributos na terra. 

Em terceiro lugar, descobrimos que esta imagem de Deus no casal inclui o aspecto de procriação de novas imagens.   Em Gênesis 5:1-3 descobrimos que “No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez; homem e mulher os criou, e os abençoou . . . Viveu Adão cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e lhe chamou Sete.”  Os filhos são fruto do amor dos pais, e pela graça de Deus também são novas imagens não somente de Deus mas também são pequenos espelhos do amor dos pais. 

Espelho do casal

Para explicar a importância do espelho do casal, autor Bob George imagina uma cena em que um marciano chega no Jardim do Éden, querendo saber mais sobre o Criador.  Ele pergunta para um papagaio como poderia aprender algo sobre Deus.  O papagaio responde, “Veja o casal, veja o casal!”  E foi assim.  Para espalhar o conhecimento e a glória de Deus no mundo inteiro, Deus plantou uma família no Jardim e deu-lhes a ordem “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a . . .” (Gn. 1:28).  Esta é a primeira forma da “Grande Comissão”, e a primeira ordem na Bíblia!  Deus queria que o conhecimento dele através do casal fosse espelhado no mundo inteiro.  Não fosse a queda, Adão e Eva teriam multiplicado a imagem de Deus ao redor do globo, através de pequenas representações da Santa Trindade e do Amor de Deus.              

Infelizmente o pecado estragou a festa.  Desde a queda, a imagem de Deus no ser humano foi ofuscada (não apagada!).  O pecado injetou conflito no relacionamento antes harmonioso entre marido e esposa, que não mais refletem tão claramente a imagem de Deus.  Surtiu acusação e atrito no lugar de amor e perdão.  Por isso a imagem de Deus na família precisava ser resgatada, conforme a promessa que Deus fizera no próprio Jardim (Gn 3:15).  Jesus pagou o preço do resgate com seu  sangue, para que o homem em Cristo fosse “nova criatura (imagem)” (2 Co 5:17).  Agora, em Cristo, a família pode novamente refletir a imagem de Deus na Terra.  Ainda não o faz de forma perfeita, pois não existem famílias perfeitas deste lado do céu, somente famílias perdoadas e perdoadoras.  Mas pelo menos há chance de refletir unidade em diversidade e amor incondicional com perdão.  Esta imagem ainda precisa ser espalhada ao redor do mundo através de famílias verdadeiramente “cristãs”, em que a vida de Cristo está sendo vivida através da família. 

Princípios

Baseado nestas observações sobre o primeiro propósito de Deus para a família, podemos sugerir alguns princípios: 

1) O  relacionamento à dois tem de ser protegido a qualquer custo contra a invasão de terceiros, seja eles os sogros, os filhos, a televisão, os amigos, uma secretária, ou o telefone 

2) O testemunho da família tem de ser vigiado a qualquer custo, pois a família é o primeiro lugar onde pessoas vão olhar para ver a presença de Deus na terra 

3) Os pais devem se dedicar “de corpo e alma” à tarefa de resgatar seus filhos das trevas, trazendo-os para Cristo e educando-os nos caminhos do Senhor 

4) Filhos não ocupam o centro da família, mas que são membros bem-vindos ao círculo familiar.  O relacionamento marido-esposa constitui o centro de uma família estável.  Os pais precisam aprender valorizar   e priorizar seu relacionamento em primeiro lugar. 

5) Relacionamentos de namoro e noivado devem proteger contra intimidades físicas que Deus reservou para a união conjugal (Hb 13:4).  “O que Deus não ajuntou, não junte o homem!”  Intimidade precoce suja a imagem de Deus no casal antes de ser completamente formada. 

Apesar de todas as crises familiares em nossos dias, a família não está morta.  Mas para não morrer, a família precisa voltar a sua primeira razão de existir: espelhar a imagem de Deus.  A família precisa ser protegida a qualquer custo, pois revela Deus para o mundo. 

 

Davi Merkh

Davi Merkh

Pr. Davi Merkh, natural do Estados Unidos, é casado com Carol Sue Merkh. Davi é professor do Seminário Bíblico Palavra da Vida (SBPV) desde 1987, onde coordena o programa de Mestrado em Ministérios. Formado em teologia (AT) pelo Dallas Theological Seminary (EUA), Davi tem doutorado em ministério (ênfase ministério familiar). É pastor auxiliar de exposição bíblica na Primeira Igreja Batista de Atibaia (PIBA).

Deixe seu comentário