SexualidadeVida Cristã

10 Coisas que você deveria saber sobre sexo | Vida Cristã

1. Sexo é a boa criação de Deus.

Deus em sua grande sabedoria, por sua glória e nosso bem, escolheu nos colocar em um mundo onde o sexo é uma parte significativa da experiência humana. A questão do sexo é importante e inevitável porque Deus, em sabedoria e amor, o escolheu para ser. 

Porque o sexo é a criação da mão de Deus e existe sob o controle de sua soberania, devemos abordá-lo com reverência e temor, não com vergonha e timidez. Sexo veio dele, pertence a ele, e continua a existir através dele, para ele ser a glória. 

 2. Sexo pode ser perigoso

Infelizmente, hoje o sexo – uma bela criação de Deus – funciona na cultura que nos cerca como um solvente espiritual corroendo a própria estrutura da comunidade humana. Tem um poder perverso para dominar seu coração e, ao fazê-lo, determina a direção de sua vida. Dá a sensação de que você está no controle enquanto, ao mesmo tempo, se torna o mestre que progressivamente o prende ao seu controle. Oferece-lhe uma sensação interior de bem-estar sem ter capacidade alguma para satisfazer o seu coração. 

Ele seduz você com a perspectiva de prazer na produção de contentamento, mas deixa você vazio e implorando mais. O sexo mantém a possibilidade que você acabará finalmente por ser satisfeito, mas em vez disso, faz você invejar qualquer um que tenha mais e melhor que você . Ele vende a mentira de que o prazer físico é o caminho para a paz espiritual. O sexo é o trabalho das mãos do Criador, mas tende a prometer a você o que apenas o Criador pode oferecer. É belo em si mesmo, mas tornou-se distorcido e perigoso por meio da queda. 

 3. O sofrimento afetará sua sexualidade.

Se o sofrimento é a experiência de cada pessoa, então você deve esperar sofrer sua sexualidade. Você sofrerá a realidade que aqui e agora o sexo não funciona da maneira que Deus planejou. Você enfrentará a redefinição, a distorção e o mau uso do sexo. Você sofre a tentação de levar sua vida sexual para fora dos limites claros de Deus. 

 Você será pego de surpresa pela tentação sexual no shopping, em seu computador, ao assistir Netflix ou, infelizmente, mesmo quando estiver usando o Google em seu telefone. Você vai sofrer ao ver mulheres expondo seus corpos em público ou homens tratando as mulheres como eles são pouco mais do que brinquedos físicos para o seu prazer. Você sofrerá a dificuldade de tentar proteger seus filhos de todo o perigo sexual por aí afora, enquanto trabalha para manter seu próprio coração puro. 

Porque você sabe de todas as tentações sedutoras, você sofrerá problemas de confiança com aqueles que ama. Alguns de nós sofrerão abuso sexual, e outros de nós sofrerão o esgotamento que vem de tentar manter nossos corações puros. Você sofrerá incompreensão e zombaria ao tentar permanecer dentro dos limites de Deus em uma cultura que ri do pensamento das fronteiras sexuais. Paulo assume que vamos sofrer, e se ele estiver certo (e ele está), esse sofrimento incluirá nossa sexualidade. 

 4. Sexo não pode satisfazer seu coração.

O sexo é poderosamente prazeroso, mas não pode satisfazer seu coração. O toque de outra pessoa estimula seu corpo e seu coração, mas nunca deixa você completamente satisfeito. O sexo o conecta de maneiras poderosas e dramáticas a outra pessoa, mas não tem nenhuma habilidade para torná-lo uma pessoa melhor. 

 Quer saibamos ou não, todo ser humano vive em busca de um salvador. Somos todos impulsionados por uma busca por identidade, paz interior e algum tipo de significado e propósito. E todos nós procuramos em algum lugar. Aqui está o fundo do poço: olhar para a criação para obter o que somente o Criador pode lhe dar sempre resulta em vício de algum tipo. A coisa que você esperava servir a você, puxa você ao serviço dela. O que parecia ser liberdade acaba sendo escravidão. A coisa não é o problema; o que você pediu é. 

A intenção criativa de Deus era trazer glória a si mesmo pelos prazeres que ele criou. 

5. Deus está no centro do seu mundo sexual.

Nosso problema com o sexo não começa com luxúria, com más escolhas ou com mau comportamento sexual. Nosso problema com o sexo começa quando nos esquecemos de que Deus deve estar no centro desta parte de nossas vidas como ele deve estar com qualquer outra. Quando você não tem uma motivação maior em sexo do que sua própria satisfação, você já está em apuros sexuais, mesmo que você ainda não saiba. Como você tendeu a se colocar no centro do seu mundo da sexualidade? 

Quer você reconheça isso ou não, no epicentro de seu mundo sexual existe um Deus de incrível poder, glória e graça. O sexo em seu devido lugar em seu coração e vida sempre começa reconhecendo que Ele está no centro. 

6. O sexo é profundamente espiritual

O sexo não é uma coisa religiosa. O sexo é profundamente espiritual. Seu relacionamento com sua própria sexualidade e a sexualidade dos outros sempre revelam seu coração. Sua vida sexual é sempre uma expressão do que você realmente adora. O sexo é profundamente religioso. No sexo, você está submetendo-se conscientemente a Deus ou se colocando como Deus. Em outras palavras, o sexo nunca é simplesmente uma coisa horizontal. O sexo sempre conecta você ao Deus que criou o seu corpo, lhe deu olhos para ver e um coração que deseja, e lhe diz como é administrar esse aspecto da sua personalidade. 

7. O pecado sexual começa com o seu coração.

Aqui é onde as palavras de Cristo nos impulsionam: nossa luta contra o pecado sexual não é primeiro uma luta com o ambiente em que vivemos ou com as pessoas que vivemos perto. Nossa luta contra o pecado sexual revela a condição sombria e carente de nossos corações. Nós somos o nosso maior problema. 

Quando se trata de pecado sexual, o maior perigo sexual para qualquer ser humano em qualquer lugar vive dentro dele, não fora dele. Isolamento, mudanças de localização e relacionamento, e gerenciamento de comportamento nunca funcionam porque eles não visam o lugar onde o problema existe – o coração. 

8. O prazer glorifica a Deus

A intenção criativa de Deus era trazer glória a si mesmo pelos prazeres que ele criou. Cada coisa prazerosa foi perfeitamente criada e projetada para refletir e apontar para a maior glória daquele que a criou. Essas coisas foram projetadas para serem prazerosas, mas também para um propósito profundamente espiritual. 

Eles foram feitos para lembrá-lo dele. Eles foram feitos para surpreender você não apenas com sua existência, mas com a sabedoria, poder e glória daquele que os criou. Eles foram colocados na Terra para ser um dos meios de Deus para chamar sua atenção e capturar seu coração. O prazer do sexo é feito para me lembrar da glória da minha íntima união com Cristo, que somente a graça poderia produzir. 

9. O prazer do sexo não substitui a graça de Deus.

É correto celebrar a bondade de Deus em dar-lhe doces prazeres, e você nunca deve se sentir culpado por apreciá-los, desde que faça isso dentro de seus limites e para sua glória. É maravilhoso celebrar os prazeres saborosos da comida, a beleza estonteante de uma excelente obra de arte, a doce intimidade do sexo ou a emoção sonora de uma peça de música bem escrita. Mas como você está celebrando o prazer, não se esqueça de celebrar a graça. 

 A graça de Deus tem o poder de protegê-lo de pedir prazer que você não deve pedir. A graça de Deus lhe dá o poder de dizer não ao sedutor apelo do prazer quando é vital dizer não. A graça de Deus oferece-lhe perdão quando você não conseguiu fazer essas duas coisas. E a graça de Deus leva você à presença daquele que sozinho pode dar-lhe a satisfação duradoura e a alegria que seu coração busca. Então, ao celebrar os prazeres físicos do mundo criado, reserve um tempo para celebrar os eternos prazeres da redenção. 

10. O sexo destina-se a nos apontar para o próprio Deus.

Como Deus criou você e o sexo, é impossível compreender adequadamente o sexo e participar apropriadamente dele, se você estiver praticamente ignorando Deus e sua existência. Por meio da criação você é dele e sua vida sexual é dele. 

 O sexo que reconhece a existência de Deus torna-se o belo ato de adoração, íntimo e relacional, que se pretendia que fosse. No meio de todas as suas delícias físicas, não se esquece de Deus. Lembre-se de que tudo animado e desfrutado no sexo lhe pertence. Ela descansa em seu controle e celebra seu cuidado no meio das conexões humanas mais íntimas. 

 

Originalmente publicado em inglês como: “ 10 Things You Should Know about Sex” por Paul David Tripp. Usado com permissão da Crossway, a publishing ministry of Good News Publishers, Wheaton, IL 60187, www.crossway.org. 

Traduzido para o português por Igor José Santos Ribeiro

Deixe seu comentário