4. O que os cristãos devem concordar?

Então, aqui está a pergunta de um milhão de dólares: com o que os cristãos devem concordar?

Esta é uma pergunta perigosa e devemos proceder com muito cuidado. Nós não queremos ser como o adolescente que pergunta: “Até onde posso ir com a minha namorada? No nosso caso, não estamos perguntando:” Qual é o mínimo em que eu preciso acreditar e ainda ser considerado um cristão? “Os cristãos verdadeiros vão encontrar-se crescendo no desejo de perseguir a verdade de Deus sobre cada assunto em que ele se revelou em sua Palavra.

O ensino dos apóstolos

Para começar, a comunhão cristã só pode ser compartilhada com aqueles que compartilham a fé cristã, isto é, aquele corpo de ensino que articula o que os cristãos acreditam. Em Atos 2:42, Lucas descreve a comunhão entre os primeiros cristãos dizendo: “Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão …” Observe que Lucas diz que eles compartilharam os apóstolos ensinando antes de dizer que eles compartilhavam comunhão.

Escolhas doutrinárias que destroem e condenam são chamadas de “heresias”. A palavra “heresia” vem da palavra grega para “escolha” e, embora hoje nós estamos acostumados a usar a palavra “escolha” em um contexto positivo, o apóstolo Pedro mostrou como pode ser usado exatamente ao contrário: “Mas também houve falsos profetas entre o povo, assim como haverá falsos profetas entre você. Eles introduzirão secretamente heresias destrutivas, mesmo negando o soberano Senhor que os comprou – trazendo rápida destruição em si mesmos “(2 Pedro 2: 1). Uma heresia ou escolha doutrinal é um afastamento da regra de fé aceita. A ortodoxia, por outro lado, é o ensinamento correto da Palavra de Deus.

Ao procurarmos cooperar com outros crentes, queremos ter certeza de que compartilhamos o ensinamento dos apóstolos, e não destrutivas heresias.

Não há uma lista concordada de quais erros devem ser chamados de heréticos, e provavelmente não é útil referir-se a todos os erros como “heresia.” Fazer isso apenas aumenta o calor emocional sem acrescentar luz a uma conversa. Nem todos os erros são iguais. Na verdade, é perigoso tratar todos os erros da mesma forma. Uma incompreensão da membresia da igreja é menos importante do que incompreensão da pessoa de Jesus Cristo! Alguns erros devem ser corrigidos; outros podem ser suportados por toda a vida.

Determinar quais erros podem ser suportados e quais requerem a separação requer que entendamos o significado da doutrina em que ocorrem os desacordos, e até mesmo dos dias em que uma determinada doutrina está em disputa. Assim como alguns órgãos são mais importantes que outros, de mesmo modo algumas doutrinas são mais centrais que outras. Nossa compreensão do trabalho de Cristo sobre a cruz é mais importante que nossa visão do sábado, assim como nosso coração é mais importante que nosso apêndice. Um ser humano pode sobreviver a remoção de seu siso ou seu apêndice, mas não seu coração!

Como aprender

Como aprendemos o que devemos concordar? Deixe-me sugerir três maneiras: através da Bíblia, através da nossa igreja, e através da nossa consciência.

Aprendemos a verdade fundamentalmente, supremamente, finalmente e principalmente através da Bíblia. Esta é a Palavra de Deus escrita. Estude sua Bíblia. Conheça bem a Palavra de Deus. Esteja sempre crescendo em sua compreensão e seu amor por ela. Leia Salmos 119 em seus momentos de silêncio por um mês, a fim de meditar e crescer em sua apreciação pelo grande presente para nós da Palavra de Deus.

Mas Deus não pretende que sejamos órfãos terrestres, autodidatas, autorregulador, autocentrados. Deus nos chamou para pertencer a igrejas locais que ensinam a Bíblia com precisão e que estão cheias de pessoas cujas vidas mostram o fruto do seu Espírito. Bom ensino deve dar bons frutos. Os anciãos de nossas igrejas devem ser capazes de nos ensinar a Palavra de Deus, o que significa que devemos submeter-nos a nós mesmos a eles e seus ensinamentos. Quando os professores ensinam como deveriam, os cristãos juntos em uma igreja terão uma clara compreensão do evangelho que os salvou. (Paulo assume em Gálatas 1: 8-9 que esse seria o caso.) Em última análise, então, é o dever da igreja local definir o que devemos concordar em ser um cristão e em ser um membro dessa congregação.

Aprendemos também através de nossa consciência. Cada um de nós tem consciência. Após a queda, a consciência foi radicalmente prejudicada, mas esse importante aspecto da imagem moral de Deus não foi eliminado de nosso caráter. Todos nós temos um senso inerente de certo e errado. Mas esse sentido é inerente, não inerrante. Muitas pessoas hoje tratam seu senso moral interno como seu próprio e único deus, mas a consciência deve ser corrigida, treinada e ensinada, e é nosso dever fazer isso de acordo com as Escrituras.


Originalmente publicado em inglês como: “Together for What?” por Mark Dever. Usado com permissão da 9marks, Washington- DC 20002 https://www.9marks.org
Link original: http://www.9marks.org/wp-content/uploads/2008/02/ejournal200852marapr.pdf
Traduzido por Gustavo Carvalho


Já se inscreveu para a Consciência Cristã 2019? Inscreva-se gratuitamente aqui

Deixe seu comentário